Jessica Fullford-Dobson – Skate Girl

Jessica Fulford-Dobson, visitou em Cabul a ONG afegã Skateinstan em 2012. Inspirou-a o facto de, apesar das mulheres estarem proibidas de andar de bicicleta no Afeganistão, saber que esta ONG, que faz a ponte entre a juventude e a educação através da prática do skate, tinha 45% de alunas femininas. Fotografou as raparigas com luz natural, para expor melhor as suas personalidades através de retratos. Este trabalho valeu a Jessica o segundo prémio Taylor Wessing Photographic Portrait Prize em 2014, na categoria retrato. O programa Skateistan aceita donativos, para poder continuar as suas actividades na tentativa de educar jovens para serem líderes dos seus destinos em vez de vitimas das circunstâncias do seu país.

© Jessica Fulford-Dobson

© Jessica Fulford-Dobson

 

 

Andrew Fladeboe – The Shepherd’s Realm

Os cães trabalhadores tendem a não ter tanto protagonismo como os seus irmãos de companhia. O fotógrafo Andrew Fladeboe, decidiu colmatar esta injustiça com uma série fotográfica que retrata estes cães, com o respeito e arte que merecem. Nas suas fotografias podemos ver cães pastores em acção, cães que procuram e salvam seres humanos, cães que ajudam à mobilidade de deficientes, cães guia, e até cães polícia, que desempenham diversas funções que podem ir da detecção de explosivos, à detecção de droga e indícios forenses. Os seus pêlos podem estar molhados ou sujos, mas as suas expressões inteligentes e as suas posturas estóicas, mostram o quanto são indispensáveis para os seus donos.

© Andrew Fladeboe

© Andrew Fladeboe

 

 

 

Beth Moon – Ancient Trees: Portraits of Time

Beth Moon, uma fotógrafa de São Francisco, pesquisou e fotografou nos últimos 14 anos árvores pelos seguintes critérios: idade, tamanho e história. Viajou pelo mundo, para captar nas suas fotografias árvores que crescem em locais remotos e parecem tão antigas como a própria Terra, tendo mesmo algumas mais de mil anos.

Todas as árvores por si fotografadas, partilham uma beleza misteriosa apurada pela idade e, o poder de nos transportarem para uma noção de tempo e natureza muito maior que nós próprios. É esta beleza, e este poder, que Beth Moon capturou nas suas fotografias.

Sessenta destas fotografias deram origem ao livro “Ancient Trees: Portraits of Time“, da Abbeville Press. Numa época marcada por extinções em massa, este trabalho documental é uma espécie de alerta, que nos diz que nem tudo está perdido.

© Beth Moon

© Beth Moon

 

 

Vencedores do World Press Photo 2015

Já foram anunciados os vencedores da edição de 2015 do prestigiado concurso World Press Photo. O grande vencedor deste ano foi o fotógrafo dinamarquês Mads Nissen do diário Politiken, representado pela Scanpix e pela Panos Pictures. Esta foi a reacção do fotógrafo ao receber o telefonema que lhe anunciou a vitória.

A fotografia que ganhou o prémio World Press Photo of the Year mostra Jon e Alex, um casal gay, durante um momento íntimo, em São Petersburgo na Rússia. A vida de lésbicas, gays, bisexuais ou trangenders (LGBT) está a tornar-se cada vez mais difícil na Rússia. Estas minorias sexuais enfrentam discriminação legal e social, assédio, e até crimes violentos, provocados pelo ódio por parte de religiosos conservadores e grupos nacionalistas.  A fotografia também ganhou o 1º prémio na categoria Contemporary Issues.

À 58ª edição do WPP concorreram 97,912 fotografias, de 5,692 fotógrafos de imprensa, fotojornalistas e fotógrafos documentais de 131 países. A exposição das fotografias vencedoras vai estar patente ao público no Museu da Electricidade em Lisboa, de 30 de Abril a 24 de Maio. A exposição vai percorrer cerca de 100 cidades em 45 países.

© Mads Nissen

© Mads Nissen

 

 

 

Jan Banning – Bureaucratics

Jan Banning, fotógrafo holandês representado pela agência Panos Pictures, mostra-nos nesta série o rosto kafkiano da burocracia estatal de vários países. Este trabalho permite comparar a cultura, os rituais e símbolos, das administrações estatais assim como os rostos dos seus trabalhadores. As visitas aos vários departamentos eram feitas sem serem anunciadas para captar fielmente o ambiente, que Jan Banning editou em livro e numa exposição itinerante.

© Jan Banning

© Jan Banning

 

Dougie Wallace – A Blackpool Story

Dougie Wallace é um fotógrafo inglês que se tornou conhecido pelas suas cruas sátiras visuais. No seu livro “Stags, Hens and Bunnies“, Dougie leva-nos até Blackpool, uma cidade costeira do Reino Unido conhecida como a meca das festas de despedida de solteiros e solteiras. Dougie fotografou todo o excesso cometido em grupo, durante fins-de-semana que se podem considerar rituais de passagem para a idade adulta do século XXI. Este é o Reino Unido fora do controle durante uma noite.

© Dougie Wallace

© Dougie Wallace

 

Dimitry Gomberg – The Shepherd’s Way

Durante 5 anos, o fotógrafo documental russo Dimitry Gomberg, viveu nas montanhas do Cáucaso e documentou a vida dos pastores locais, chamados Tusheti. Descobriu uma vida simples e dura na rota que fazem pelas montanhas, e um estilo de vida que nunca antes tinha visto. O projecto terminou quando os pastores que seguia morreram. Dimitry sonha vir a publicar um livro com este projecto, que lhe deu o prémio de Emerging Talent 2014 do site LensCulture.

© Dimitry Gomberg

© Dimitry Gomberg

 

Petrut Calinescu – The Black Sea

Petrut Calinescu é um fotógrafo freelance romeno e membro da Panos Pictures. O seu projecto sobre o Mar Negro, leva-nos numa viagem pela diversidade cultural europeia, asiática e do Médio Oriente. Este projecto, ainda em construção, explora o sonho de muitos: passarem férias à beira do Mar Negro.

© Petrut Calinescu

© Petrut Calinescu

 

Fan Ho: A Hong Kong Memoir

O famoso fotógrafo chinês Fan Ho documentou, durante as décadas de 50 e 60 do século XX, o dia-a-dia das ruas de Hong Kong. As fotografias, publicadas em livro pela Modern Book, levam-nos a percorrer uma metrópole cheia de vida, que muitos de nós nunca viramos anteriormente. O seu amor pelas pessoas, combinado com construções geométricas inesperadas e dramatismo de luz e fumo, sempre presente nas suas fotografias, continuam a fazer de Fan Ho, agora com 83 anos, um dos mais aclamados fotógrafos de rua de toda a Ásia.

© Fan Ho

© Fan Ho

 

Amrita Chandradas – 6.9

Singapura passou do terceiro para o primeiro mundo nos últimos 40 anos. A fotógrafa Amrita Chandradas foi tentar perceber o que se comprometeu nessa mudança vertiginosa. Os mortos estão a ser transladados, os edifícios são cada vez mais altos, as tradições estão a esfumar-se…Em 2030 Singapura terá uma população de 6.9 milhões de pessoas.

© Amrita Chandradas

© Amrita Chandradas